Luciana Cani

0

Luciana nasceu no Brasil. Trabalhou 10 anos como diretora de arte em diversas agências em São Paulo. Em 2007 Luciana foi convidada para fazer parte do time da Leo Burnett Lisboa. 

 

Em 2011 Luciana foi promovida Diretora Criativa e um ano depois Diretora Criativa Executiva da Leo Burnett Lisboa.

 

Em 2013 e 2014 foi reconhecida como a melhor Diretora Criativa de Portugal pelo Festival El Ojo de Ibero America. E nos últimos 3 anos foi quem mais vezes esteve no topo do ranking entre os diretores criativos de Portugal segundo o CCP.

 

Luciana acaba de de integrar a equipe da LAPIZ , situada no headquarter da Leo Burnett em Chicago. Lá irá desempenhar a função de Vice Presidente Senior e Diretora Criativa Executiva.

 

Luciana também publicou um livro infantil pela Editora Everest, ilustrado e escrito por ela.


 

ENTREVISTA.


 

PortfolioLovers. 

 

No fundo, no fundo, o que fez você escolher essa profissão?

 

Luciana.

 

Foi meio por acaso. Eu ainda era muito jovem e tive a oportunidade de passar um dia na W/Brasil, onde, na época, o meu primo trabalhava. Adorei aquele ambiente descontraído e decidi que ia seguir os passos dele. 

Não tinha muita ideia do que exatamente eles estavam a fazer ali. A decisão mais madura de seguir a carreira, veio mesmo trabalhando. Comecei o meu primeiro estágio com 18 anos, numa agência pequena, depois de cursar Produção Visual Gráfica no colégio.

 

 

PortfolioLovers. 

 

Muitos jovens tem dúvidas sobre sua escolha em ser um criativo. Que fatores ou “sinais” acha importante para ajudar nessa decisão? 

 

Luciana.

 

Acho que a carreira de um criativo é cheia de altos e baixos. Não dá para ter certeza o tempo todo. 

 

Antigamente as pessoas se perguntavam o que queriam ser quando fossem grandes. Mas muito mudou, não existem “aquelas” profissões” somente. Hoje é mais uma pergunta assim: o que você faz nas suas horas livres, como isso pode se tornar uma profissão?

 

Vc gosta de ser criativo, gosta de fotografar, desenhar, escrever? O que você faz naturalmente, por prazer? E aí sim, tentar buscar uma profissão que te dê a oportunidade de usar essa habilidade.

 

Ser criativo não significa trabalhar em advertising somente. Ser criativo significa ter muito mais opções do que esta indústria.

 

 

PortfolioLovers. 

 

Anúncios, roteiros, ações, videocases, aplicativos, etc. Afinal, o que é legal ou não ter na pasta? 

 

Luciana.

 

O portfolio serve para mostrar critério, nível de profissionalismo e se há paixão por criatividade.

O formato não é  importante, desde que seja aquele que melhor demonstra a ideia. 

Quando falo de paixão por criatividade, falo de projetos pessoais. O que alimenta a criatividade daquela pessoa? Só advertising? Que tipo de trabalho criativo ele faz para além dos jobs. Fotos, ilustrações, tatuagens, seja o que for. Hoje em dia busca-se cada vez mais profissionais com diferentes perfis. 

O portfolio é uma ótima chance de se vender como criativo para além das fronteiras tradicionais.

 

 

PortfolioLovers. 

 

Se pudesse escolher apenas 3 fontes de referências, quais seriam? 

 

Luciana.

 

https://www.nowness.com/

 

http://www.freundevonfreunden.com/

 

http://www.itsnicethat.com/

 

 

PortfolioLovers. 

 

Você tem essa experiência desejada por muitos hoje em dia, de trabalhar fora do Brasil. Conte um pouco sobre as vantagens e desvantagens, e o quanto isso influenciou na sua visão da profissão.

 

Luciana.

 

Não vejo desvantagens. Vejo só coisas boas. É uma experiência onde somos desafiados de maneiras diferentes. Recebemos estímulos novos em todas as áreas da vida. É sair completamente da zona de conforto. E na minha opinião, um criativo não pode deixar de procurar desafios.

 

Influenciou na minha visão de que há modos muito distintos de se trabalhar. Não há só aquele que conhecemos no Brasil. A distância também nos dá uma perspectiva diferente de tudo. 

 

 

PortfolioLovers. 

 

Imagine que um dia, um de seus filhos escolha ser um criativo. Que conselhos daria? 

 

Luciana.


Ser criativo é uma coisa que acontece, onde aplicar a criatividade é algo que determinamos ao escolher uma carreira  O mundo é enorme e cheio de oportunidades. Daria ao meu filho todo o tempo do mundo para experimentar e usar a criatividade dele em campos diferentes, para depois tomar uma decisão com mais confiança. Experimentar enquanto é possível.

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário